31/08/2010

Bancando o psicólogo

Às vezes eu gostaria de ter a oportunidade de ter meus dias ruins, meus dias de bode, meus dias onde sou o paciente e não o psicólogo... Eu não sei se há uma cobrança realmente, mas eu sinto uma imensa cobrança em volta de mim por parte de todos... Basicamente meu dia é composto por atividades e nessas atividades tenho colegas e esses colegas tem suas vidas e problemas... Me faz bem ouvi-los, debater, aconselhar meus colegas, porque eu me ponho no lugar, não julgo o modo de uma pessoa agir... Humanos são tão complexos que eu não os critico, mas aprecio... O fato é que, muitas vezes, não sinto essa retribuição... A verdade é que um psicólogo também precisa de psicólogo... A expectativa em mim é tanta que eu, muitas vezes, deixo de ser eu mesmo, deixo de pensar em meus problemas, em minhas particularidades para resolver ou refletir sobre problemas alheios.. A pergunta é: quando será minha vez de reclamar? Por que devo aguentar sempre tudo e ajudar os outros se por vezes não sou ajudado? Sempre vejo amigos sendo ríspidos com amigos e logo mais tudo fica numa boa, eles esquecem, pois estão acostumados com humores instáveis... Mas quando sou eu quem não está bem e manda respostas um pouco atravessadas sou extremamente criticado... Isso significa que eu, por estar sempre tentando demonstrar estar bem não posso mostrar meu lado confuso ou temeroso? Por que eu tenho que ser perfeito enquanto os outros erram sem parar e são perdoados? Sinto-me ainda mais um ator... Estou quase sempre atuando, quase sempre deixando passar... Por que não tenho o direito de um corriqueiro piripaque humano? Gostaria de saber...


x/)an

Um comentário:

Alan disse...

Gostei, me identifiquei com o post de certa forma