29/01/2011

Para todos


Às vezes estranho que todos não se compreendam. Para mim é tão simples compreender, pelo menos eu sei que tenho um limite razoável de tolerância... Pode ser bom se colocar no lugar dos outros só pra variar. Também pode ser ruim, mas não custa tentar. É necessário tentar.
 Ninguém pensa igual. Há semelhanças, a pontos em que as pessoas concordam umas com as outras, mas não é em tudo. Não existe ninguém igual e nunca irá existir. Eu, particularmente, adoro isso. Não gostaria que existisse alguém igual a mim, eu nem gosto quando me comparam a alguém ou quando sinto que estou sendo influenciado. Eu tento ser eu, tenho buscar um modo de ser que não exista a meu redor, um modo que ninguém possa dizer "nossa você me lembra de..." ou "seu cabelo parece o do..." Isso me incomoda. Profundamente.
 Tem coisa melhor que a diferença? Não há coisa melhor! Que graça teria se todos andassem do mesmo jeito, se rissem no mesmo tom, se gostassem das mesmas coisas? É saudável a diferença! É vital. Diversidade enche os olhos e a alma, faz você pensar em novas possibilidades, acrescenta suposições, idéias ao ser.
 E como pode em um mundo tão magnificamente diferente existirem pessoas que querem controlar o nível de vontade própria? Como pode alguém simplesmente decidir que você pode pisar ali, mas não lá. Como pode alguém obrigar as pessoas a pagar contas e mais contas sendo que esse alguém não paga nem a metade de tudo isso? Por que em um mundo onde todos se dizem serem filhos de Deus e irmãos se dividirem em religiões, cada um acreditando que vai pro céu por estar junto com aqueles que pregam aquelas palavras que, de tão repetitivas, perderam o sentido? Somos iguais, queremos ser diferentes, mas temos que ser iguais?
 E por que as diversas formas de expressão como a música, a dança, o cinema... Por que o que acaba sendo reconhecido é o vulgar? Por que o comum? Por que sempre o óbvio? Será que ninguém percebe que o legal é se indentificar?
 Por que padrões, por que movimentos? Por que viver como querem que vivamos? Por que não fazemos nada para ajudar a nós mesmos? Por que não fazemos nada para ajudar a todos nós?
 Queria mudar tantas coisas no mundo. Coisas que todos me dizem: Daqui há alguns anos você vai perceber que não dá pra mudar nada. Uma fúria, uma sede por justiça por igualdade explode no meu peito toda vez que a tv está ligada. Toda vez que um novo envelope chega. Toda vez que ouço que o diabo está em sei lá quem. Toda vez que me perguntam quem ganhou a prova do líder do Big Bosta reality show.

 Que lixo.

 Será que nem mesmo deixando a tv desligada eu consigo me livrar das atualidades fúteis que meu mundo me oferece?


x/)an

4 comentários:

Thai # disse...

Primeiro,vc perde a paciência facil facil rs , so pensar no Janderclerison q vc fica irritado hehehe...
Segundo, concordo com todo o resto rs
beijos

André Walker disse...

bem vindo ao clube!
vivemos num mundo de ideias vazias e cocô no ventilador cultural!
(detesto pessoas)
^^
abç

Marcos Lessa disse...

REGRA NUMERO#1: Não se envolva.

Garotinha Ruiva disse...

Cada vez que vc faz algo diferente aparece alguém que acha legal e quer copiar, isso é tentar ser diferente e tentar se encaixar, ao mesmo tempo. Me revolto quando vejo as pessoas conversando horas e horas sobre o BBB ou qualquer novela, enquanto que, quando alguém cita filosofia, ou sociologia, as pessoas desprezam, simplesmente por não conhecerem e tacharem de coisas inúteis. A futilidade é o senso comum, e aquilo que traz conhecimento é chato, é perda de tempo. As pessoas conseguem ler livros grossos como crepúsculo mas não se dão ao trabalho de ler o Auto da Barca do Inferno, por exemplo, um livro curto e cheio de interpretações cotidianas. É difícil sobreviver no mundo de hoje tendo uma certa inteligência, e mente aberta. As pessoas são bitoladas, e o meio de sobreviver é saber que não tem jeito, se vc é assim, vai se sentir sozinho. Mas isso não significa que esteja.

Indiquei uns selinhos para o seu blog, depois dá uma passadinha por lá. E obrigada pelo coment!